Caso de promiscuidade entre Poderes no Oeste do Pará pode explodir a qualquer momento na Corregedoria do Tribunal de Justiça Eleitoral
02/11/2020 13:01 em NOVIDADES

Hélio Nogueira - 

ESCÂNDALO PRESTES A EXPLODIR NA JUSTIÇA ELEITORAL DO PARÁ REGISTRA UM FLAGRANTE CASO DE PROMISCUIDADE EM QUE O JUIZ ELEITORAL SERVE COMO BRAÇO POLÍTICO DO PREFEITO

Deve aterrissar na Corregedoria do TJE do Pará o caso de um juiz lotado em comarca do oeste paraense cuja esposa, não concursada, foi contratada para trabalhar na prefeitura.

Não bastasse a flagrante promiscuidade entre Poderes, o magistrado ainda atua como braço político do prefeito, tendo indeferido o registro eleitoral do candidato adversário.

A informação está na coluna do jornalista Olavo Dutra desta segunda-feira, 2 de novembro:

Favores da lei

Deve aterrissar na Corregedoria do TJE do Pará o caso de um juiz lotado em comarca do oeste paraense cuja esposa, não concursada, foi contratada para trabalhar na prefeitura. Mais grave ainda: a contratação ocorreu em pleno período eleitoral,  em que, por força de lei, o gestor municipal fica proibido de contratar ou demitir funcionários. O caso corre de boca em boca nos quatro cantos do município e – devido à grande repercussão – deixa em saia justa o Executivo e o Judiciário.

Rigores da lei

 

Não bastasse a flagrante promiscuidade entre Poderes, o magistrado ainda atua como braço político do prefeito, tendo indeferido o registro eleitoral do candidato adversário. Advogado da área eleitoral já representou contra o juiz, assinalando que o mesmo “extrapola todas as esferas da razoabilidade de paridade de armas”, chegando ao cúmulo de dar entrevistas sobre a candidatura indeferida, o que fere de morte as regras que regem a magistratura no tocante à impessoalidade.

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!
VENHA ANUNCIAR AQUI...